Em cima da hora | Mais lidas de hoje

Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014 | Última atualização ocorreu às 13:52hr

RSS Feeds Bookmark e Compartilhe

Paulo Nunes fica dividido entre Fla, Grêmio e Palmeiras

14/11/2008 - 13:49:07 - Globo Esporte


Ex-atacante recebe até hoje o carinho das três torcidas dos principais clubes que defendeu

Parece piada. É motivo de encarnação dos amigos. E causou um racha na família mais ilustre de Pontalina, cidade do interior de Goiás. A reta final do Campeonato Brasileiro não arranca suspiros apenas dos torcedores, mas também dos parentes de Paulo Nunes. O ex-atacante defendeu três dos cinco clubes que disputam o título da competição. Não só conquistou fãs rubro-negros, alviverdes e tricolores, como despertou nas pessoas mais próximas paixões por Flamengo, Palmeiras e Grêmio.

Todo mundo que me vê na rua pergunta para qual time vou torcer. Digo que é para qualquer um dos três que ganhar. A minha família também sofre. Todos gostam dos três times - afirma o ex-jogador, que elege o meio-campo Alex, do Internacional, como melhor jogador do Campeonato Brasileiro.

Na semana passada, Paulo Nunes foi alvo de gozações numa pelada organizada por Ronaldo em um condômino de luxo no Rio de Janeiro.

- O Fenômeno e o Djalminha disseram que a melhor oportunidade que tive na carreira foi no Grêmio. Por isso, vou apoiar a equipe do Celso Roth. Os flamenguistas acham que sou gremista e vice-versa. Quando vou a São Paulo, dizem que sou Palmeiras - diverte-se o artilheiro do Brasileirão de 96, com 16 gols.

Crítica ao time do Grêmio

Embora seja grato ao Tricolor gaúcho, Paulo Nunes não fica em cima do muro. Apesar de achar que o caneco está mais próximo de São Paulo e Grêmio, acredita que o Imortal conta com um elenco limitado.

- Acho o time tecnicamente fraquíssimo. Os jogadores são movidos pela força e pela vontade de vencer. O Estádio Olímpico lotado está sendo fundamental. Porém, o Grêmio tem a pior equipe entre as cinco primeiras colocadas do Brasileiro - afirma o ex-camisa 7 gremista aos 37 anos.

Fã do técnico Vanderlei Luxemburgo, com quem trabalhou no Palmeiras, e amigo do hoje treinador Adilson Batista- desde a época que jogaram juntos no Grêmio-, Paulo Nunes diz que os dois merecem o troféu deste Brasileirão.

- Eu e o Adilson vivíamos juntos. Nossas famílias são amigas. Se o título for para o Cruzeiro, não vou ficar chateado por causa dele. Se for olhar por esse lado, o Caio Junior sempre foi meu adversário. E o Muricy Ramalho, eu não conheço - relembra o mentor do Centro Esportivo Paulo Nunes, voltado para crianças de 8 a 15 anos, com sede em Goiânia.

Revelado pelo Flamengo no início da década de 90, Paulo Nunes foi campeão Carioca (91), da Copa do Brasil (90) e do Brasileiro (92) pelo time da Gávea. No Grêmio, ele formou a inesquecível dupla de ataque com Jardel e conquistou seis títulos: Copa do Brasil (97), Brasileirão (96), Recopa Sul-Americana (96), Libertadores (95) e dois Campeonatos Gaúchos (95 e 96).

O ex-atacante também fez sucesso com a camisa do Palmeiras. Ele ajudou a levar para o Palestra Itália os troféus da Copa do Brasil (98), Mercosul (98) e da Libertadores (99).

 

 

Orkut Tudo Agora
Siga-nos no Twitter

© 2008-2014 Tudo Agora. Seu agregador de conteúdo no Brasil.