Em cima da hora | Mais lidas de hoje

Quinta-Feira, 30 de Outubro de 2014 | Última atualização ocorreu às 13:52hr

RSS Feeds Bookmark e Compartilhe

Coisas novas geralmente trazem duas reações: ansiedade e, em muita gente, um pouco de medo

Coisas novas geralmente trazem duas reações: ansiedade e, em muita gente, um pouco de medo. Quando essa coisa nova é a primeira relação sexual, então, a coisa pode desandar. As dúvidas de quem nunca fez sexo são muitas e muitas também são as informações desencontradas na internet. Para responder de forma clara e precisa, o G1 convidou médicos especializados em saúde dos adolescentes para receber as perguntas dos leitores.

 

Mariana Andrade|26/01/2009 23h29
Olá? Gostaria de saber se não existe algum tipo de anestésico íntimo para ser usado na primeira vez. Sou virgem, mas tenho medo da dor, pois já tentei algumas vezes ter a minha primeira relação e, por sentir dor, pedi pra meu namorado parar. Por favor, respondam-me.

Jeremias - SP|27/01/2009 08h49
Também tenho a mesma dúvida da Mariana, sempre que eu e minha namorada tentamos manter relações sexuais ela reclama de muita dor e me pede para parar. Isto é normal? Tem alguma pomada que possamos usar sem que ela tenha problemas futuros? Obrigado

 

Mariana e Jeremias, a pergunta de vocês é muito comum. A gente ouve tanta história de terror sobre a primeira vez que fica achando mesmo que a coisa vai ser uma tortura insuportável. Mas não é nada disso.

Vocês não precisam usar nenhum anestésico para a primeira relação sexual. O que acontece é o seguinte: a vagina é um músculo. E como todo músculo, ela se contrai e fica tensionada quando a pessoa está nervosa. Sabe quando vocês estão estressados e precisam de uma massagem por que os músculos das costas ficaram todos apertados? É a mesma coisa lá em baixo.

Agora, tem coisa para deixar a pessoa mais nervosa que a primeira relação sexual? É um motivo de grande ansiedade mesmo. Além disso, na maioria das vezes há o rompimento do hímen e é normal que doa um pouquinho. Mas ó, bem pouquinho. Se a dor for maior é para fazer igualzinho a Mariana e a namorada do Jeremias fizeram: pedir para parar.

Se está doendo é por que a menina está pouco relaxada e lubrificada. Ela só vai ficar bem quando ficar a vontade. Em resumo: quando estiver “a fim”. E uma dica para os meninos: não adianta ficar pressionando. Quando mais vocês pressionam, mais ansiosas elas ficam e mais vai doer. Um namorado bacana e que se preocupa com a namorada é compreensivo e segue o ritmo dela. Com calma, diálogo, respeito e vontade, a dor da primeira relação sexual com certeza absoluta não é nada que vá precisar de um anestésico. “Não é uma dor tão forte assim”, explica o ginecologista Laudelino de Oliveira Ramos.

 

E outra coisa muito importante: “Sexo dá uma sensação de prazer. Se passar um anestésico, não vai sentir nada”. E que graça tem isso, não é?

O médico dá ainda uma dica para facilitar a primeira relação sexual: a posição mais confortável. Apesar de muita gente preferir o tradicional “papai-mamãe” na primeira vez, a posição mais fácil é um pouco diferente. “A melhor posição para a abertura da vagina ocorrer mais anatomicamente é de costas, com as pernas flexionadas e o pé para cima”, recomenda o doutor Ramos.

Agora, independente da posição, como a gente disse lá em cima, o essencial é a tranquilidade do casal. Sexo não é obrigação de ninguém: você só faz se e quando quiser. E, sempre, é claro, com camisinha.

A próxima pergunta é do Sávio:

 

Sávio|28/01/2009 09h43
Como posso saber se a parceira realmente é virgem? Porque algumas meninas dizem que são mas, em muitos casos, não são.

 

Olha, Sávio, a gente tem uma má notícia para você: não dá para saber.

Boa parte das pessoas acredita que toda mulher virgem sofre com dores e sangra na primeira relação sexual. Então vamos esclarecer esse mito agora: é mentira. Algumas mulheres sentem dor, algumas mulheres sangram. Outras não sentem dor nunca. Outras só vão sangrar depois de muitas relações. Outras ainda não sangram nunca.

Isso por que as mulheres têm diversos tipos de hímen, aquela pele que recobre a entrada da vagina nas mulheres que nunca fizeram sexo (vaginal). Alguns são grossos e difíceis de romper: esses doem um pouco e sangram. Outros são mais finos e pouco vascularizados: esses dificilmente vão sangrar. E algumas meninas ainda têm o chamado “hímen complacente”, o hímen elástico que pode demorar muitas relações para ser rompido.

Entendeu por que você não tem como saber se a menina é virgem, Sávio?

Agora, a ginecologista Arlete Gianfaldoni comenta uma coisinha para fazer a gente pensar. “Do ponto de vista médico, virgem é a menina que ainda tem o hímen. Mas e, na prática, o que é ‘ser virgem’? Uma menina que só fez sexo oral, mas nunca o vaginal, pode mesmo ser considerada virgem? E outra menina que nunca fez sexo consensual, mas sofreu uma violência, ela não é mais virgem? E os meninos, então, que nem hímen têm? O que é ser virgem?”, questiona a médica. Entende como esse assunto é complexo? Não é mais fácil deixar essa pele tão polêmica de lado? Para Arlete, sim. “Virgem é toda pessoa que nunca teve qualquer tipo de relação sexual consensual com outra pessoa”. Não é mais simples?

Outra coisa, Sávio: “O melhor jeito de saber é perguntar”, orienta a ginecologista. “E uma vez que ela falou, se você está com alguém que confia e gosta, não pode fazer nada além de acreditar”, diz Arlete. Afinal, se você desconfia da pessoa, você quer mesmo ter um relacionamento com ela?

 

 

 

Orkut Tudo Agora
Siga-nos no Twitter

© 2008-2014 Tudo Agora. Seu agregador de conteúdo no Brasil.