Em cima da hora | Mais lidas de hoje

Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014 | Última atualização ocorreu às 13:52hr

RSS Feeds Bookmark e Compartilhe

O corpo de Eloá Cristina Pimentel, 15 anos, foi enterrado nesta manhã no Cemitério Santo André

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

O corpo de Eloá Cristina Pimentel, 15 anos, foi enterrado nesta manhã no Cemitério Santo André, bairro Vila Humaitá, em Santo André, no ABC paulista. A cerimônia foi acompanhada por uma multidão, que seguiu em cortejo do local onde ocorria o velório, até a sepultura. De acordo com dados da Guarda Civil Metropolitana (GCM), aproximadamente 12 mil pessoas acompanharam o enterro. Emocionados, os familiares da menina fizeram um momento de oração antes de o corpo ser sepultado. A mãe e o irmão de Eloá se abraçaram no momento da despedida, muito comovidos. Parentes da menina vestiam uma camiseta com a foto da jovem estampada.

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Centenas de pessoas levaram flores para depositar ao lado do caixão. Algumas delas estavam presentes já no velório e levaram faixas e cartazes com protestos. O pai de Eloá não compareceu ao velório e ao enterro, pois está sedado, já que sofre de hipertensão. Ele teve diversas crises desde que a filha foi seqüestrada, no último dia 13.

Na medida em que os familiares se afastavam do local onde o corpo foi enterrado, as pessoas presentes, que formavam uma multidão, tiveram comportamentos distintos. Algumas dispersaram, outras seguiram a família de Eloá e outras disputaram um espaço próximo à sepultura, para prestar as últimas homenagens. O jazigo ficou coberto de flores e cartazes com frases de despedida e pedidos de paz.

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

O velório da jovem foi acompanhado por pelo menos 30 mil pessoas desde o início, na tarde de ontem, segundo dados da GCM. Em média, 2,4 mil pessoas passavam por hora para ver o caixão. Milhares de curiosos fazem fila para ver o corpo da jovem. De acordo com o Samu, uma das pessoas que teve de ser removida do cemitério estava alcoolizada e a outra, grávida.

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Camisetas
Valdir Roque de Oliveira, 21 anos, irmão de Yago, que chegou a ser mantido refém junto de Eloá, mandou fazer camisetas com a foto da vítima, para fazer uma última homenagem à Eloá. No verso da blusa, há um trecho da letra da música preferida dela: 1 minuto, do cantor D'Black. "A culpa não foi sua, os caminhos não são tão simples, mas vou seguir", diz a música. Cerca de 500 camisetas foram distribuídas para familiares e amigos de Eloá.

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

Fotos: Reinaldo Marques/Terra

 

 

 

Orkut Tudo Agora
Siga-nos no Twitter

© 2008-2014 Tudo Agora. Seu agregador de conteúdo no Brasil.